Sim N�o

O carnaval e suas histórias..

26 de fevereiro de 2015

Todo carnaval tem história, algumas boas outras nem tanto. E esse carnaval de 2015 não foi diferente, aconteceu muita coisa boa, muita história boa para contar. Esse ano decidi passar o carnaval no litoral do RS, como a tempos não fazia, e fui convidado por um casal de amigos a “pular” o carnaval em um bloco de carnaval de Tramandaí. Até a primeira noite do bloco não tinha decidido se iria ou não, como só conhecia esse casal não sabia como ia ser, mas pensei melhor e decidi ir, afinal seria a oportunidade perfeita para conhecer gente nova. Dito e feito, foram 3 noites MUITO boas e várias novas amizades. Mas o esse conto é somente sobre a primeira noite (Sábado 14/02/2015).

Chegando ao local onde o bloco estava concentrado, um local fechado, um carnaval dentro do carnaval, entre umas 300 e 350 pessoas, nessa primeira noite rolou uma concentração com bebida liberada para o pessoal do bloco, após iriamos para Bar onde teria uma festa, junto com mais outros dois blocos. Começo da concentração, quase festa, foi de observação, afinal só conhecia o casal que me convidou a ir. Após algumas cervejas, já havia arrumado alguns amigos e amigas, cerveja rolando, concentração bombando, um pouco antes de sairmos da concentração, encontrei uma menina, conversamos um pouco e ficamos, curtimos um pouco mais a concentração e saímos para a outra festa junto com todo o bloco. No meio do caminho nos conhecemos um pouco mais.

Quando chegamos na outra festa, paramos em um canto do bar, ali o negocio começou a esquentar, uns beijos no pescoço, umas mordidas na orelha e ela estava ficando louca. Levei ela para uma parte da festa que estava fechada, ter amigo segurança sempre é bom kkkk fomos bem cuidadosos e não demoramos muito. No espaço tinha algumas mesas e cadeiras, sentado em uma cadeira, coloquei ela sentada no meu colo, mais alguns beijos no pescoço e ela estava encharcada, ela estava de saia, coloquei sentada em uma mesa e puxei a cadeira, coloquei as pernas delas sobre meus ombros e comecei a chupar ela, ela se mordia para não gritar, fora os poucos cabelos que tenho que perdi kkk ela gozou rapidinho enquanto chupava ela, sugava todo o caldinho dela. Ela pulou da mesa e me levantou, dei para ela uma camisinha de morango, baixou minha bermuda, se ajoelhou, e foi colocando a camisinha com a boca, me chupando deliciosamente, me engolindo inteiro, uma delicia de chupada. Quase me fez gozar também. Levantei ela, segurando ela pelos cabelos e virei ela de costas, ela se apoiou na mesa e virou para mim, uma bunda maravilhosa, redondinha, tive que dar umas mordidas antes, em seguida segurando ela pelos cabelos de novo, comecei a colocar, bem devagar, ela se contorcia e pedia para meter tudo, mas fui colocando aos pouco, enlouquecendo ela. Metia gostoso e ainda segurando os cabelos dela, beijava o pescoço dela, dava umas mordidas na orelha, mas queria ver a carinha dela, olhar no olho, coloquei ela sentada na mesa, de frente para mim e continuei metendo, olhando para ela de frente, ela se mordia, gemia, me arranhava, tentava puxar os poucos cabelos que tenho, logo os dois gozaram, MUITO!!! Ela estava toda molhada e com uma cara de satisfação, e eu, da mesma forma, foi ótimo.

Não sei exatamente o tempo que ficamos, mas quando saímos o segurança disse que quase foi me buscar kkk espero que não tenha ido mesmo. Voltamos para a festa mais alegres do que antes, sorriso na orelha. Encontramos novamente o pessoal e fomos aproveitar a festa. Ela não ficou muito tempo mais, estava cansada e no outro dia teria mais festa ainda. Saímos da festa e levei ela até a casa dela, não era muito longe de onde estávamos, e no caminho recebi um oral novamente delicioso, dessa vez ela usou a camisinha de menta, mas a danada não me fez gozar, disse que na outra noite compensaria. Deixei ela em casa e voltei para a festa encontrar meus amigos, e o que aconteceu depois vem em outro conto, afinal esse foi só o começo do meu carnaval 2015!!

Metendo gostoso no carnaval!

23 de fevereiro de 2015

Na segunda-feira de carnaval estava em casa sem ter o que fazer quando meu cel toca, era meu amigo querendo falar comigo. Pediu para que eu fosse até o centro da cidade para conversarmos. Me troquei, peguei algumas camisinhas e fui até o encontro.

Chegando la meu amigo não estava, então sentei e fiquei ouvindo músicas quando noto um moço bonito grisalho me dando sinal para ir até o banheiro da praça. Chegando lá começamos a conversar ele me disse que é de uma cidade vizinha e que estava passando o carnaval aqui, foi quando ele dentro do banheiro me abordou e disse: vamos fazer algo? Eu imediatamente respondi “sim, vamos! pode ser aqui”, não havia ninguém no banheiro e o fluxo de gente era muito pequeno naquele dia.

Foi onde o chamei para entrar em uma cabine reservada a cadeirantes, entramos e começamos a se beijar se pegar bem gostoso.  Sentia o calor do seu corpo e o tesão ia tomando conta de nós dois. Peguei minha Prudence de uva e comecei a chupar bem gostoso, quando partimos para os finalmente sentia ele penetrando bem gostoso em um vai e vem devagar e rápido sentindo ele todinho dentro de mim.

O sexo foi maravilhoso salvou meu carnaval!!!

Saimos de lá de dentro, conversamos mais um pouco e trocamos cel. Ele foi embora e, logo em seguida, meu amigo chega.

Uma noite qualquer

12 de fevereiro de 2015

Sai do trabalho um pouco mais tarde que o normal. Cansada, estressada e parei no ponto de ônibus que, por sinal, demorou horas para passar. Então, eis que passa um táxi e buzina, mas não dei atenção e continuei no meu foco. Ele deu a volta no quarteirão e parou novamente ao meu lado, saiu do carro e perguntou se podia conversar comigo por um minuto apenas. Eu fiz que sim com a cabeça e fiquei olhando ele falar, papo de homem de sempre, mas simpático, atraente. Me convenceu a sairmos dali a irmos tomar um refri ou um suco, porque ele não podia beber. Paramos em uma lanchonete e ficamos conversando por algum tempo, então ele veio e se sentou do meu lado, começou a acariciar meu pescoço, passar a mão nas minhas pernas me olhando fixo nos olhos e começou a sorrir com aquela cara de safado.

Perguntou no pé do ouvido se eu queria sair dali e ir a outro canto ou ir pra casa, eu disse que queria ir pra casa porque já estava tarde, ele então me levou, mas por um caminho mais longo, parou num desvio e começou a beijar o pescoço, me puxando pelo cabelo e então a coisa começou a esquentar.  Mão aqui, mão ali, boca ali, boca aqui,ele começou a tirar minha roupa, me despiu por completo, me beijando, me chupando por todos os cantos e eu louca de tesão só tive a chance de pegar a Prudence. E, pra minha surpresa, era a wave que me deixa com muuito mais tesão. Coloquei nele com a boca deixando ele com muito tesão, começamos ali no carro mesmo, eu por cima, cavalgando nele e ouvindo ele me chamar de gostosa, puta, cachorra, me pegando com força pela cintura, apertando meus peitos. Sem pudor nenhum, suor escorrendo e vidro do carro todo embaçado. Ele falou assim “não vamos terminar aqui, vamos pra outro lugar”,  eu disse pra ele que precisava gozar ao menos uma vez antes de sairmos. Então ele me pegou, me colocou de quatro e começou a meter com vontade, me fazendo gozar em instantes, mas não parou, continuou até minhas pernas bambearem de tanto prazer.

Sentou, me colocou no colo dele e disse pra não sair daquela posição. Começou a dirigir e me disse pra começar a rebolar nele sem dó ,que ele queria ver eu fazer ele gozar daquele jeito e assim foi, até chegarmos na porta do motel. Quando chegamos lá,ele estacionou o carro e fechou a garagem,me jogou em cima do carro e me chupou loucamente,me fazendo gemer de tanto prazer. Me colocou em seu colo bem encaixada e subiu as escadas, me jogando pra cima e fazendo descer devagarzinho. Me colocou na cama, abrindo bem minhas pernas e me fazendo gozar mais umas três vezes seguidas. Depois de tudo me puxou pro banho me beijando, dizendo que me desejava, que nunca tinha visto mulher assim e pra mim mais um teste,mais uma experiência pra guardar,ops,contar pra vocês ;D

Sexo oral sem igual com prudence!!!!

11 de fevereiro de 2015

Vamos falar a verdade quem não gosta de receber ou fazer um delicioso sexo oral pois bem é maravilhoso tanto fazer quanto receber mas gostoso mesmo é você poder contar com a variedade de camisinhas de sabores que a prudence tem uma melhor que a outra perfeitas para fazer um oral no seu parceiro (a).

Fiz e faço com meus parceiros e aprovo entre vários sabores estão banana,chocolate, cola,melancia,tutti-frutti, uva morango entres outras.

O melhor de tudo é que isso ajuda nas preliminares fundamental para uma boa transa, então faça uma chupeta ou receba bem gostoso com muito sabor e depois partir para os finalmente para um bom sexo e o melhor de tudo seguro!!!!!

 

Sem rumo

11 de fevereiro de 2015

Entro no bar da cidadezinha interiorana, com muita pressa. Não olho ao redor, meu foco é ser rápida, tem gente me esperando. Uma garrafa de conhaque, um maço de cigarros e balas de mentas, e estou saindo.

Há cinco passos da saída, sinto uma mão firme me desviando de minha rota. Um solo de guitarra ecoa, fazendo eu me arrepiar e o dono daquela mão me faz estremecer. Ele me encaixa em seu corpo, me conduz ao som de Dire Straits. Perdi tudo. O rumo, a noção de tempo, a noção de até quem eu era.
Antes da música acabar, com aquele olhar sedutor e sorriso malicioso, ele me leva dali…para um rancho de uma fazenda.

A música ainda tocava na minha cabeça, me excitava, me encharcava e ele..ahhh, ele me beijava freneticamente, me apertava, acariciava intensamente.

Me despiu rapidamente e beijou cada centímetro do meu corpo. Em um movimento, me colocou de quatro, me abraçou por trás, e começou a lamber minha nuca, desceu pelas costas seguindo a linha da coluna, e finalmente um beijo grego. Enquanto fazia da minha bunda seu brinquedo oral, ele massageava meus grandes lábios e descia com os dedos para dentro de mim, e foi até que eu gozasse. Então ele se despiu e vestiu uma camisinha Morangão Prudence, que tirou do bolso da calça jeans jogada no chão.

Aquele cara desconhecido, que me pegou pelo braço e dançou comigo no bar, estava de pé e  resolveu me puxar novamente. Em um pulo ele entrou em mim, dilacerando minha vagina. Eu urrei e entrelacei minhas pernas ao redor de sua cintura.

Seus movimentos eram intensos. Seu corpo musculoso suava e ele não parava de meter. Depois de gozar com ele dentro de mim, me esquivei, desci e fiquei de quatro novamente. Olhei por cima dos ombros, dei um sorriso e ele entendeu o recado.

Caiu de boca da minha bunda novamente. Me deixou no ponto, e enterrou em mim sua majestosa pica.

Enquanto eu sentia o prazer dele comendo minha bunda, ele massageava meu clitóris.

Urramos, entramos em êxtase,  gozamos.

Alguns minutos depois, me levantei daquele chão cheio de palha em que eu estava jogada, me vesti, peguei  minhas coisas e quando estava saindo ele falou: – agora você sabe o que é um vaqueiro.

Ainda em êxtase e desnorteada, voltei para o hotel onde tinha gente me esperando…