Texto não revisado: Imagina!

Imagina!

Se fosse incrível todo dia…se fosse incrível de dia! Se fosse de dia…Se fosse todo dia!

Ah! Eu nem queria mesmo! Eu nem queria o mesmo todo dia…hoje em dia pode-se dizer isso?

Os caras não prendem, não batem se você diz isso sendo moça? Se eles não batem, quando você pede, é claro, você se machuca e não sente?

Quando ele sente demais, você não acha enfadonho sentar-se nele?

Imagina um que fale sua língua e use a língua dele e engula sua… Não é mesmo lindo quando ele sabe usá-las? (As línguas…) E quando sabe calar a boca no meio das suas pernas? E quando sabe falar coisas certas na hora exata?

Imagina! E bota a mão na calcinha, pois este Frankeinsten inexiste.

Assim como a métrica e a fluidez desta vez.

Não retroalimentemos o galã da Disney asséptico que nos foi empurrado goela adentro a vida inteira, embora ele nem demonstrasse tanto interesse e nem o transformemos num michê canastrão que tem que estar sempre pronto.

Essa bobagem sem direito a revisão era só uma ode à masturbação, imagina!

@pietraprincipe